Ideologia


O Frente Favela Brasil (FFB) é um partido político brasileiro democrático participativo, fundado em 2016. Nesse sentido, o Partido Frente Favela Brasil vem representar essa parcela da sociedade, que em sua grande maioria permanece desassistida, o que implica em sérias ameaças à dignidade humana.

O FFB constituiu-se a partir de um processo democrático participativo, a fim de atender aos anseios da população afrodescendente, os moradores de favelas de qualquer cor e origem e os excluídos das periferias ou subúrbios, que no campo ou na cidade, necessitam urgente e emergencialmente de uma representatividade efetiva e legítima em todas as esferas do sistema político brasileiro.

A nossa ideologia tem por objetivo a luta pelos direitos da população afrodescendente, das favelas e dos pobres das periferias, promovendo a esses um bem-estar coletivo e a justiça social. Seu conceito baseia-se no desenvolvimento do “Viver Bem”, que tem por finalidade o reconhecimento cultural e social, recuperando dessa forma a cultura histórica do povo negro. Pensamos o “Viver Bem”, associado a outros princípios, como o da igualdade, da inclusão, da liberdade, da solidariedade, da equidade social, do respeito ao gênero, na participação e da responsabilidade, articulados a um regime de desenvolvimento, como garantia da dignidade humana.

Ainda nessa perspectiva de desenvolvimento com responsabilidade e sustentabilidade, é de suma importância a economia comunitária, que tem como princípio o cooperativismo ou associações que visam o bem-estar de um todo, unindo-se na busca para a solução de problemas econômicos através de uma economia de cooperação. Essa economia se baseia sobre o princípio da incorporação voluntária de seus membros que deve ser aberta, inicialmente, e até onde seja compatível com as possibilidades econômicas de cada cooperado, sem distinção.

A associação pode ser parte de uma cadeia de grupos ligados jurídica e economicamente, que trabalhem em prol de um ideal social comum, ligados por atividades semelhantes, em uma organização econômica unida. O Partido Frente Favela Brasil sustenta sua base política teórica, através das obras dos muitos influenciadores brasileiros e fazemos lembrar outros co-irmãos de para além do Brasil, mas que contribuíram para o nosso desenvolvimento político.

Alguns deles são: Abdias do Nascimento, Alaíde do Feijão, Ana Maria Gonçalves, Azoilda Teixeira, Beatriz Nascimento, Benedita da Silva, Bob Marley, Carlinhos Brown, Carlos Alberto Medeiros, Carlos Eduardo Tadeu, Carlos Moore, Carolina Maria de Jesus, César Kaab Abdul, Cezinha Orunmilá, Cheik Anta Diop, Chico Cesar, Clóvis Moura, Dandara, Darcy Ribeiro, Dexter , Dina Dee, Dona Elisa, Dona Ivonete, Douglas Belchior, Dr. Molefi Kete Asanti, Edson Santos, Elza Soares, Eloi Ferreira , Emicida, Fela Kuti, Frei David, Gilberto Gil, Gilza Marques, Grande Otelo, Guerreiro Ramos, Hélio Santos, Ivanir dos Santos, Ivete Sacramento, Ivone Lara, Jaime Sodré, Jair Rodrigues, Jesse Jackson, Jurema Werneck, Prof Julio Cesar Tavares ,João Jorge, Kabengele Munanga, Lazaro Ramos, Lazzo Matumbi, Lecy Brandão, Lelia Gonzales, Tula Ferreira, Lélia Gonzalez, Luislinda Valois, Mãe Beata, Mãe Menininha, Mãe Stela de Oxóssi, Maíra Azevedo, Makota Valdina, Malcolm X, Mano Brown, Marcus Garvey, Marina Soares, Martin Luther King, Matilde Ribeiro, Mestre Didi, Milton Santos, Mussum, Mv Bill, Naná Vasconcelos, Nega Gizza, Negojó Koteban, Negra Lee, Nelson Mandela, Nilo de Almeida, Olivia Santana, Orlando Silva, Pai Beto, Paulo Paim, Pregador Loo, Renato Nogueira dos Santos Jr, Renato Nogueira, Renato Nogueira, Rosa Parks, Sandra de Sá, Sharylaine Bakhita, Silvio Humberto, Sandra Almada, Sueli Carneiro, Thais Araújo, Tia Má, Tobias Barreto, Vera Agbara Dudu, Vera Maria Mendes, Vilma Reis, Vovô Ilê, Willian Santiago, Wilson Simonal, Zumbi, entre tantos outros.

Entendemos, portanto, que um partido participativo e inclusivo deve possibilitar que a população afrodescendente e os pobres de qualquer cor e origem, excluídos e periféricos, no campo e na cidade, possam ver o mundo sob sua própria perspectiva. Isso significa que nós devemos ser “agente sujeito” da nossa própria experiência, para isso é necessário estudarmos nossa própria cultura, história e filosofia, respeitando os nossos ancestrais.

Fazermo-nos inseridos no centro das discussões e na tomada de decisões, objetivando a promoção da reparação, dado que historicamente permanecemos sem protagonismos nas decisões, que resultará da realização de uma educação que venha desenvolver tal proposta, englobando também políticas de fortalecimento das relações externas entre as favelas globais, que hoje são habitadas por 2,5 bilhões de pessoas.

Defendemos como forma de governo, a democracia participativa ou semidireta, que diferente da representativa, possui a participação direta da população nas tomadas de decisões efetuadas pelo partido. Esta forma de governo utiliza mecanismos que possibilitam ao povo se engajar nas questões políticas, através de uma participação direta, por plebiscitos, referendos, audiências públicas, redes sociais, congressos nacionais, consultas ou quaisquer outras formas de manifestações populares. Vale ressaltar que este partido anualmente estará atualizando seus objetivos a partir das reuniões e decisões dos seus congressos.