"Nota de Repúdio: Da Frente Favela Brasil"

O Frente Favela Brasil repudia de forma veemente a atitude do membro do Conselho Federal de Administração (CFA), Marcos Clay, que em uma rede social, de forma racista, declarou ódio aos negros, além de objetificar a mulher negra, no caso em questão, a goleira da Seleção Brasileira de Futebol, Bárbara Micheline, através da seguinte afirmação: “Eu odeio preto, mas essa goleira do Brasil tinha chance”.

Em uma sociedade democrática, racismo é crime inafiançável e imprescritível, declarações de qualquer espécie que incitem ao ódio racial devem ser rigorosamente combatidas, não cabendo apenas retratação pública.

Atitudes como essa servem de modelo para tantas outras manifestações de cunho racista e misógino, e dão sustentação ao racismo estrutural institucionalizado, que aprofunda as desigualdades raciais e sociais, aumentando o abismo socioeconômico entre os brancos e negros brasileiros.

Em decorrência deste fato inadmissível, os Advogados, Flavia Ribeiro e Humberto Adami do Frente Favela Brasil, movimento recém-criado para representar politicamente negros e moradores de favelas, entraram com uma ação no Ministério Público Federal contra o membro do Conselho Federal de Administração (CFA) Marcos Clay sob acusação de racismo.




-->